ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE PROCLAMADO INTELECTUAL DO ANO DE 2014.

ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE PROCLAMADO INTELECTUAL DO ANO DE 2014.

MEU PRIMEIRO LAR


MEU PRIMEIRO LAR

Meu primeiro lar!...

Tenho ainda na memória

cada dia, cada imagem

e que hoje é só saudade.

Meu primeiro lar!...

Quantas lembranças queridas,

aquilo sim, é que era vida.

Meu primeiro lar!...

De onde vi pela primeira vez

a luz do sol a brilhar,

a beleza do luar

prateando aquele pomar

que o cercava de verdes e frutos.

Não sei quantos anos foram precisos

para o meu pai construir aquele paraíso!

Somente sei,

que a lembrança vai durar por todos os anos do meu viver.

Meu primeiro lar!...

Meu berço, que abrigou o meu nascimento,

que testemunhou o meu primeiro choro

o meu primeiro sorriso

os meus primeiros passos

os primeiros abraços,

todos os meus primeiros momentos...

Ah! Meu primeiro lar,

que me ouvia falar, cantar...

que assistia o meu adormecer

e o meu despertar.

Meu primeiro lar!...

Onde reinou a felicidade

onde nunca vi maldade

onde a solidariedade

também fez morada.

É como conto de fada...

Um sonho realizado.

Foram doze anos abençoados

ali intensamente vividos

junto aos meus irmãos e pais queridos.

Ah! Meu primeiro lar,

não tenho o seu retrato comigo

mas a sua imagem eu não consigo

remover da mente.

Lembro... Na frente...

Aquele jardim...

Um horto de rosas, cravos, dálias,

gira-sol e jasmim,

perfumando o ar que ali respiramos.

Havia um pé de papoulas, sempre florido,

complementando o colorido

daquele Éden aqui na terra.

Meu primeiro lar!...

Saudade é muito pouco

para expressar o que sinto.

Como voltar ao tempo?

Para reviver aqueles momentos

desde o meu nascimento

até a infância vivida.

Sei da impossibilidade,

todavia, a nostalgia de agora,

faz fluir a realidade...

Vivi a felicidade.

Meu primeiro lar!...

Hoje apenas sonhos, imaginação.

lamentação do dia

que fui para matar a saudade

e não mais o encontrei...

Que mãos o derrubaram, não sei!

Estava tudo no chão...

O pomar, onde tanto brinquei,

os pássaros cantavam,

os frutos colhia,

não mais existiam.

Amargurado, consternado, retirei-me calado,

e por anos passados,

não retornei ao lugar.

Resta somente agora, um solo abandonado...

Cercado com arame farpado.

Ah! Meu primeiro lar,

pudesse eu reconstruí-lo

refazer tudo aquilo...

Na varanda ficaria

na imaginação refletindo...

Crianças alegremente correndo,

frutos amadurecendo,

flores resplandecendo,

pássaros gorjeando,

sol se pondo,

a lua surgindo

céu estrelado...

Os meus pais sorrindo...

Seria... Inexplicavelmente lindo.

Meu primeiro lar...

Preciso essa saudade afogar

ao menos idear

que a felicidade venha ressurgir...

Se as nuvens passam e voltam

se as tempestades vão e voltam

se o sol e a lua vão e voltam

por que, só você, não volta pra mim?

Roberto P. Acruche

DIVIBO BEIJO

DIVINO BEIJO!

Vem divina doçura, prazer sagrado, encanto amado
Leva-me a ti, entrega-me o verdadeiro doce do viver
Inebria-me com a suavidade da tua sedução
Oh amor, traga-me seu gosto, sua vontade, sua boca.

Beijo que entorpece a alma e embriaga o coração
Corpos que se unem em um só fascínio de ternura
Duendes que se entrelaçam no êxtase sagrado da emoção
Lábios doces, feito de mel - sabor do amor e da paixão
Vinde a mim ó mulher, perfeição inesquecível.

Entrega-me ao instante de suave deleite
Unimo-nos em um só deslumbre de carinho
Junte-se a mim, una teu corpo ao meu
Dê-me vida, dê-me paz, dê-me seu amor
Dê-me o Divino Beijo!

Daez Savó

HOMENAGEM


Elisabeth Souza Cruz

***

Mesmo que o tempo me puxe,
mude o roteiro, inclemente,
em São Francisco de Acruche
eu voltarei... certamente!!!


Meu querido! Vc merece as honras pela brilhante criatura que é!

É muito bom ter amigos, ainda mais quando estes nos homenageia com poesia. Obrigado.
Élizabete Souza Cruz está entre as maiores e mais consagrada Trovadora do Brasil!

TROVAS E POEMAS VAI COMPLETAR UM ANO

Trovas e Poemas, nossa criação e que temos a alegria de editar uma vez mensalmente, vai completar no mês de março seu primeiro ano de existência e comemoramos com a alegria de saber que vem alcançando enorme sucesso, chegando hoje a todos os estados brasileiros, inclusive ao exterior. São dezenas de e-mail que recebemos, quase que diariamente, ressaltando o nosso trabalho a cada edição. A interação com acadêmicos, poetas, trovadores, escritores de todo o Brasil nos oferece um extraordinário conteudo da lieratura, os quais também inserimos em nossas edições.

Trovas e Poemas

Impresso Cultural

Criado em 30 de março de 2009

Nº 13 – MARÇO DE 2010

Reproduza tirando xérox ou repassando

Roberto Pinheiro Acruche

Membro efetivo da Academia Pedralva Letras e Artes – Campos dos Goytacazes-RJ

Delegado da UBT – S. Francisco de Itabapoana –RJ

Caixa Postal – nº 123192 - São Francisco de Itabapoana-RJ

CEP – 28.230-000

www.robertoacruche.blogspot.com. **** rpacruche@gmail.com

Você, que ainda não recebe este informativo, desejar recebê-lo, inclusive ver publicada suas obras literárias, envie através de e-mail a sua solicitação e seus trabalhos.

Lavrador, planta alimento
na terra que é dadivosa;
recorda a cada momento
que a terra é mãe generosa!
Arlene Lima

ARLENE LIMA - CONCEITUADA TROVADORA

É com entusiasmo que registro o recebimento, para enriquecer ainda mais a nossa coleção, diversas TROVAS da conceituada, admirável poetisa e trovadora Arlene Lima, do Estado do Paraná e que vem abrilhantar muito mais este espaço do nosso Blog.
Canhão que detone beijo,
míssil que transporte abraço:
-essa é a guerra que desejo,
enchendo de paz o espaço.
Arlene Lima

CLAUDER ARCANJO LANÇA NOVO LIVRO

Recei o convite para participar do lançamento de mais uma obra do escritor Clauder Arcanjo pela Editora Sarau das Letras.

ANO ACADÊMICO NA PEDRALVA COMEÇA NO DIA 06 DE MARÇO

Acadêmica Sueli Petrucci estará assumindo a presidencia da Pedralva.

No próximo dia 06 de março em reunião festiva, os membros da Academia Pedralva Letras e Artes estarão reunidos, a partir das 16 horas, em sua sede situada no Palácio da Cultura, para a posse de nova diretoria e dar início as atividades do ano acadêmico de 2010. A nova Diretoria está assim composta:
Presidente - Sueli Petrucci
Vice - Presidente - Roberto Acruche
Secretário - Thelmo Albernaz
Secretário Adjunto - Ana Lúcia
Tesoureiro - Manoel Junqueira
Tesoureiro Adjunto - Helio Bulhões
Diretor de Patrimônio - Carlos Augusto Alencar

O entusiasmo da nova presidente, que tem muitos planos, vem contagiando os acadêmicos que esperam uma gestão renovadora, objetivando elevar o nome da Academia, dinamizando suas ações e dando cada vez mais a sua contribuição no âmbito da literatura, da arte e da cultura .

ELA - POESIA DE ROBERTO ACRUCHE

CARNAVAL EM SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA - RJ

UNIDOS DA PONTE EM BARRA DO ITABAPOANA (Foto de Flori Fernandes)
BARRA DO ITABAPOANA (Foto de Flori Fernandes)
BLOCO AMIGOS DA LIZA EM BARRA DO ITABAPONA (Foto de Flori Fernandes)
A AVENIDA FICOU TOTALMENTE TOMADA EM SANTA CLARA
ESTOU NO VAI LÁ!
VEREADOR TININHO E DIRETOR DA CÂMARA ALEXANDE
SERÁ QUE É? AO LADO O FUNDADOR DO BLOCO JUBIRACA, JÚNIOR
PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL VEREADOR TININHO TAMBÉM FUNDADOR DO BLOCO VAI LÁ.
UMA MULTIDÃO DE FULIÕES UNIU OS BLOCOS VAI LÁ E JUBIRACA EM SANTA CLACARA
NA CIDADE, NA ABERTURA OFICIAL DO CARNAVAL, A ALEGRIA FICOU POR CONTA DOS UNIDOS DO STATUS; EM GARGAÚ, NO DOMINGO, O TRADICIONAL BOI PERNANBUCO ARRASTOU UMA MULTIDÃO, NA SEGUNDA FEIRA FOI A VEZ DOS UNIDOS DE GARGAÚ; MANGUINHOS, BARRA DO ITABAPOANA E GUAXINDIBA TAMBÉM FIZERAM BONITO CARNAVAL.

PEREZ DOVÁ EXPÕE A SUA ARTE

PEREZ DOVÁ - Criador da Casa da Cultura, foto acima, em Morro Alegre, São Francisco de Itabapoana - RJ expõe a sua arte.



TRIBUTO AO PARAIBA DO SUL - POEMA


TRIBUTO AO PARAIBA DO SUL

Olhando o rio

deslizando lentamente,

sereno espelho d’água,

formando um tapete luzente

pelos reflexos do sol brilhante,

nada parece neste instante

com o mesmo rio caudaloso

que corre veloz e vistoso,

que rasga as suas margens,

invadindo cidades, várzeas, pastagens

com destino ao mar.

São as fazes do meu Paraíba,

as vezes adormecido e calmo,

outras com força desmedida

vindo em desabalada corrida

atravessando a tua trilha

provocando susto, trazendo medo,

parecendo um pesadelo, um terror,

até quem sabe um vingador

dos maus tratos sofridos?

São os mesmos

que realçam as tuas belezas

que cantam as tuas proezas

que te eleva em versos e poesia

que tiram de ti o sustento a cada dia

que matam a sede e a fome;

que te consome

com rasgos, desvios,

barragens e esgotos;

transformando-te,

um rio garrido e tão bonito...

Em depósito de lixo e detrito.

Meu valente, Paraíba do Sul,

produtor de riqueza

magia da natureza,

que nasce na serra

trilha os vales

irriga a terra...

Que brota pequenino

e se agiganta

e que a tantos encanta...

Quanto tributo nós te devemos?

Corras meu rio,

siga o teu destino;

inspirando por onde passas e pertences,

os campistas e os sanjoanenses.

Continue banhando a minha terra sanfranciscana,

a abraçar o mar em Atafona,

com ele manter a Convivência.

Siga nas noites espelhando as estrelas

e a luz prateada do luar.

Durante os dias,

mostrando a tua exuberância

após percorrer toda a distância,

refletindo o céu azul,

apesar de sofrer tanta maldade,

exponha ao Brasil inteiro

a tua imortalidade,

repousando no lago manso e trigueiro,

onde fizeste morada

na praia de Gargaú.

Roberto P. Acruche

MEU ESPELHO - POEMA

MEU ESPELHO

Meu espelho, revelador!...

Arca de memórias,

juiz implacável do presente,

profeta mudo do futuro,

confessionário e principal consultor.

Sorrindo diante de ti

relembro os meus dias de infância

gesticulando e fazendo caretas...

Na vaidade da adolescência e juventude

extraindo acnes, penteando os cabelos,

raspando os primeiros fios de barba

experimentando roupas...

Quanto desvelo com a aparência!

Tudo sem perceber as transformações naturais

provocadas pela maturidade,

fator imposto pela idade,

pelo tempo, senhor de cada momento,

fosse ele, alegre, feliz, triste ou sofrido.

Agora, diante de ti,

mesmo estando a sorrir

estou subordinado às mutações...

Uma ruga que antes não existia,

hoje habita e marca a minha fisionomia...

Os cabelos longos, fortes, cheios,

que exigiam tantos cuidados,

apenas uns poucos ainda existem,

presentemente esbranquiçados

e jogados um tanto para os lados.

No entanto, o que mais me revela e me assusta,

não é a modificação irreversível, progressiva e bruta,

não são os momentos felizes ou tristes do passado;

nem o que fiz de certo ou errado;

não são os tempos perdidos, desiludidos...

Não são os ideais que não puderam ser alcançados;

ainda que me deixem entristecido.

Muito menos, por tanto haver me empenhado

e me obrigado a compromissos...

Nada disso!

Mesmo que tenham me abalado, também não são

as paixões e os amores fracassados...

Não é o futuro das minhas obras e conquistas;

não é a aparência de um homem cansado

desestabilizado, desalinhado,

vivido, sofrido,

nem sempre barbeado... Definhando!...

O que verdadeiramente me revela e me assusta

é o presente!... Esse presente

sem prorrogação, motivação,

sem meios de recuperação

para a efetivação de tantos sonhos

que ainda vivo sonhando.

Roberto P. Acruche

QUISERAS - POEMA


QUISERAS

Quisera ser o poeta que procuras,

O amor que tanto sonha...

Ouvir as palavras que murmuras,

Contemplando a tua fisionomia risonha.



Quisera te amar loucamente,

Sentir contigo as delícias e prazeres

De um amor profundo...

Habitar no doce encanto do teu mundo.



Quisera aspirar ao teu perfume

Como o vento ao passar sobre a relva

De ti experimentar o ciúme.

Quisera sentir o teu abraço apertado

Intimamente na tua alcova florida,

Ouvindo teus queixumes, amor da minha vida!

Roberto Pinheiro Acruche

Quem Sou eu

Eu sou um caso,
um ocaso!
Eu sou um ser,
sem saber quem ser!
Eu sou uma esperança,
sem forças!
Eu sou energia,
ora cansada!
Eu sou um velho,
ora criança!
Eu sou um moço,
ora velho!
Eu sou uma luz,
ora apagada!
Eu sou tudo,
não sou nada!
Roberto P. Acruche

ESCREVA PARA MIM!

rpacruche@gmail.com
Visitas

free counter
Orbitz Cheap Ticket

Visitantes Online