ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE PROCLAMADO INTELECTUAL DO ANO DE 2014.

ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE PROCLAMADO INTELECTUAL DO ANO DE 2014.

TROVAS



Sopra a brisa, sopra a vida,
passa o tempo, o tempo passa...
Andei por uma avenida
sem luz, sem amor, sem graça!

O sonho do trovador
é fazer trova perfeita;
não consegui ser o autor,
mas consegui vê-la feita!


Se eu tivesse te encontrado
antes, meu imenso amor;
teus olhos que estão molhados
não chorariam de dor.


Nunca foi obra de arte,
mulher de cintura fina,
digo isso em qualquer parte,
ela é uma obra divina!

Esta vida é complicada,
imagine, meu consorte,
pois se a vida é temporada,
que será, então, a morte??


Meu coração bate forte

ao chegar sua mensagem

que bom se tivesse a sorte...

Vê-la chegar da viagem.

Enquanto estas a sorrir...
Evitas o que aborrece.
Tristeza pode existir,
mas delas, você esquece!

Que nós somos filhos Teus,
muitos dizem, e acredito...
Boníssimo pai, meu Deus...
Teu amor é tão bonito!


Quando chove reclamamos
e se não chove também.
Se a chuva traz certos danos,
outros têm quando não vem.

Posso reclamar de tudo...
Direito que me convém!
Mais fico todo “sisudo”
quando reclamas também.

Trabalhou por longo tempo
nos muitos anos vividos...
e traz agora o lamento
nos seus ombros doloridos.

Por momento passageiro
fostes trocar os teus sonhos.
Vive agora o tempo inteiro
dias vazios, tristonhos...


Era jovial e prosa,
Bom contador de vantagens.
A vida lhe foi calosa...
Está no fim da viagem!...

Arteiro, ágil e risonho...
Era assim, na mocidade!
Hoje cansado e tristonho,
só leva o peso da idade.

Jurou-me que voltaria...
Eu juro, muito esperei!
Outra vez você mentiu...
Outra vez acreditei.


Eu nunca vivi uma guerra!
Jamais vivi uma tragédia!
Se a dor no meu peito encerra...
Será que a vida é comédia?


Chorei de tanto sorrir!
Sorri ao chegar o fim,
de pensar não existir
amores falsos por mim!


Nada ainda terminou!
Então siga a caminhada...
Se o mundo não acabou,
A vida não está parada!

CULTURA E LAZER


Quero agradecer ao Cultura e Lazer, por estar publicando minhas trovas, entre aos maiores trovadores e trovadoras do Brasil. É mais que uma honra! Muito obrigado.

Se o orgulho humano se mede
por luzes, aplausos, palmas,
carisma é a luz que procede
da usina das grandes almas
João Paulo Ouverney – SP

Se me fosse dado ouvir
do meu peito, o seu falar,
poderia até surtir
grande efeito o meu pensar!
Luiza Soares B. de Moraes – PE

Há trovas que, ao meu instinto,
traduzem tais sentimentos,
que em Quatro Versos eu sinto
a força de quatrocentos!
Arlindo Tadeu Hagen – MG

A criança tem direito:
lar, carinho e educação
pra conduzir com respeito
o futuro da nação.
Neiva Fernandes –- RJ

Foram muitos improvisos
mas cheguei ao fim da estrada,
entre lágrimas e risos
fui fazendo a caminhada.
Flávio Ferreira da Silva – RJ

No cais da vida, à distância,
acompanhei com saudade
o lenço branco da infância
dando adeus à mocidade.
Giselda Medeiros – RJ

Mesmo estando tão distantes,
As paixões da mocidade
Têm o mesmo brilho de antes
Na moldura da saudade.
Theresa Costa Val – MG

Ao passar a mocidade,
aquecida, tal verão,
o sol da maturidade
me deu nova direção!
Roberto Acruche – RJ

O inverno fecunda o chão
com sêmens de orvalho e espera
as flores que brotarão
do ventre da primavera!
Eduardo Toledo – MG

REVISTA TROVIA UBT - MARINGÁ - PR


QUERO ABRAÇAR E AGRADECER AO GRANDE POETA E MAGNÍFICO TROVADOR, ANTÔNIO AUGUSTO DE ASSIS, EDITOR DA REVISTA TROVIA, PELAS PUBLICAÇÕES QUE TEM FEITO DE MINHAS TROVAS.

FALANDO DE TROVAS

Falando de Trovas, também me honrando com a publicação de trovas de minha autoria.


Eu bebi para esquecer
esqueci porque bebi,
agora quero saber,
o que será que esquecí?

A tristeza em minha casa
está num quarto vazio:
de dia a saudade abrasa,
à noite mata de frio
Roberto Acruche

Trovas e Poemas de minha autoria continuam sendo publicados pelo Brasil a fora!... Desta feita o Pavilhão Literário Cultural Singrando Horizontes me concedeu esta grande honra e alegria.
Uns me chamam de poeta...
Já outros, de Trovador!
Eu só sei que a minha meta,
é escrever com muito amor
.
Roberto Acruche

"LUZIA" - POEMA


LUZIA



Eu a encontrei

numa noite linda,

alegre, repleta de luz e fantasia.

Era carnaval!

E como tal...

Muito samba, festa e folia.

Elevei o braço para dar-lhe a mão

e com o mesmo gesto ela retribuiu.

Bateu mais forte o meu coração!

Pensei logo em beijá-la, abraçá-la;

mas naquele momento

seria atrevimento.

Num gesto, talvez, irrefletido,

espontâneo, ingênuo, ou quem sabe sutil,

ela apoiou a mão em meu ombro!

Simples, comum, natural...

Mas o suficiente para imaginar

a delicia do seu tocar

e o fascínio dos seus abraços.

Idealizei apertá-la junto ao meu peito,

para que sentisse o pulsar do meu ser.

Cingir aquele corpo

formoso, escultural, sedutor

me faria sentir frêmito de amor.

Olhei firme em seus olhos

que chamejavam...

Olhei os seus lábios, que estavam,

suavemente hesitantes e com um sorriso singelo...

Não resisti à emoção,

à tentação

e audaciosamente a beijei...

Amanheci em seus braços

e mais uma vez a minha mão

deslizou docemente sobre seu corpo

e penetrei em seu paraíso.



Roberto P. Acruche

OTÁVIO VENTURELLI - UMA CARTA

Nesta foto: Rodolpho Abbud, Pedro Ornelas, OTÁVIO VENTURELLI (camisa verde ao meu lado) e Roberto Acruche
Foi com alegria que recebi do amigo Otávio Venturelli, o qual, eu não vejo desde setembro de 2007, uma carta, e em anexo "Histórias que a Saudade Ainda me Conta", de sua autoria.

Primeiro é preciso ressaltar que o Otávio é um dos expoente da literatura fluminense, autor de diversos livros, magnífico trovador e poeta. Tenho em minha biblioteca, e não canso de ler seus notáveis sonetos. (Histórias que a saudade ainda me conta) É a história de José Venturelli Sobrinho, pai do Otávio, passada na cidade mineira de Maria da Fé. José Venturelli foi General do Exercito, Engenheiro Civil, poliglota, (falava fluentemente, o Árabe, Italiano, Francês, Espanhol, Inglês e ainda o Esperanto. Foi presidente da Academia Brasileira de Belas Artes, escreveu vários Livros de Poesia, Peças Teatrais; é autor da Canção do Regimento Sampaio (1º RI) cantada na tomada do Monte Castelo, na Itália, sendo agraciado com o título de "Oficial Honorário de Infantaria"; recebeu do governo Italiano a "Comenda de Cavaleiro"; tinha a medalha de honra, de ouro, por "Ato de Bravura". Um curriculum de fazer inveja e de deixar orgulhosos os seus filhos.

Meu amigo, Otávio, reside em Cascatinha, na cidade de Nova Friburgo-RJ.

Me orgulho de ser seu amigo!... E registro isso com muita honra.

GRANDES TROVADORES E TROVADORAS

NEIVA FERNANDES
O primeiro e grande amor
é o doce amor de Jesus,
que, salvando o pecador,
morreu pregado na cruz.
RAYMUNDO
Plantei nas primeiras águas,

limpei as ervas então,
que eram as velhas mágoas
que eu tinha no coração.
ELIZABETH SOUZA CRUZ
A mesma chuva amorosa
que abranda a sede da gente,
é a mesma chuva teimosa,
que leva os sonhos na enchente!
DÁGUIMA VERÔNICA
Superação é corrente
feita de muita vontade
que te impulsiona pra frente
independente da idade.
CIDA
Na escuridão me dei conta
de que nem vela existia
meio cega, meio tonta
com ele, me confudia.
JOSÉ OUVERNEY
Reza, feitiço, quebranto...

Nada disso resolveu:
"baixou" na esquina outro "santo"
e levou o que era meu!

HISTÓRIA DE SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA - CURIOSIDADE!

Igreja de N. Sra. da Eucaristia







Local da primeira aparição






Um fato recente e que provocou muita emoção, sinal de fé, curiosidades, comentários, notícias e devoção, foi à aparição de Nossa Senhora da Eucaristia no dia 21 de fevereiro de 1995, no local hoje denominado de Monte Santo.
Naquele dia o senhor Sebastião Junqueira Ramos, muito conhecido por “Ned” avistou diante de si a imagem resplandecente de Nossa Senhora...
Esta aparição voltou a acontecer repetidas vezes e muitas são as pessoas que afirmam ter visto a Santa.
A senhora Rosângela Pereira Rangel, disse tê-la avistado sobre a árvore que se encontra em frente à Igreja. O senhor Leopoldino Coutinho Rangel afirma ter visto a imagem na torre do templo que foi erigido no Monte Santo.
Conversando com Júlio da Silva Ramos, este revelou que um certo dia, não sabe precisar bem a data, estava reunido com várias pessoas em volta da árvore, onde mais freqüentemente aconteciam as aparições, e ali orando, tendo ao seu lado uma criança, quando olhou para o alto, isso em torno das três horas da tarde, avistou um círculo, aparentando uma aliança muito dourada, parecia um ouro muito polido, tamanho era o brilho, e que girava rapidamente em torno do sol, e na medida que girava o sol ia ficando branco. Ficou pasmo, disse, não estava preparado para assistir tal fenômeno, principalmente quando viu, o sol se dividir em duas partes, momento que se sentiu em outra dimensão em volta do grupo de oração. Muitas cores iam surgindo e as pessoas que ali estavam clamavam em alta voz, gritando e louvando. Um seu amigo que havia levado em companhia, de nome Rodrigo chorava copiosamente, dizendo estar vendo Nossa Senhora com uma linda coroa na cabeça e de mãos postas, das quais saiam raios de luz dourada em direção as pessoas que estavam orando.
Conta ainda Júlio da Silva Ramos que em outra ocasião, um grupo de pessoas pertencente a famílias da localidade de Alegria dos Anjos, que morando no Rio de Janeiro, vieram a passeio e com seus familiares e amigos aqui residentes, sabendo da aparição, resolveram ir até o local para rezar o rosário; e quando estava no último mistério do rosário, ou seja, no 5º mistério glorioso, todos de olhos fechados, de repente ao abrir os olhos, eram nove horas da noite mais ou menos, estava escuro, quando uma luz surgiu e veio em direção ao grupo, girando e dela saindo raios coloridos, chegando até bem próximo de todos, que paralisados, imóveis como se estivessem anestesiados ali permaneceram até que o fenômeno se desfizesse. Entre as pessoas que se encontrava no grupo, cita o de D. Ursula, que reside em Ponto de Cacimbas.

TROVAS DE MINHA AUTORIA.

Roberto Acruche com alunos do Colégio Estadual São Francisco de Paula
Noite de ternura extrema,
que os corações se embalaram
nosso amor se fez poema...
E os nossos versos se amaram!...









Nesta vida o tempo passa
o meu consolo é você!
Mas sou poeta sem graça,
quando passas e não me vê!


Sou um rio nesta vida
e você meu belo mar;
tento lhe adoçar querida,
você só faz me salgar!...

A alvorada, em seus traços,
me trouxe nova esperança
de ter de novo em meus braços
quem não me sai da lembrança.
Ao abrir minha janela,
inundada de luar,
mais forte a lembrança dela
fez a saudade apertar.


Mágico é teu esplendor,
outono da minha vida.
Beijo a sorte, vivo o amor...
Ironizando a partida.

EXALTAÇÃO A SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA














Exaltação a São Francisco de Itabapoana
Autor – Roberto Acruche

São Francisco de Itabapoana
Como eu gosto de você.
Sua beleza encantadora
Há de sempre resplandecer.

Suas praias, sua grandeza,
Seus campos e floração colorida,
Obra prima da natureza
Eu me orgulho de ter nascido aqui.

Salve seu povo hospitaleiro,
Bom, amigo e trabalhador;
Salve terra abençoada
De São Francisco nosso senhor...

Abraçada pelos rios,
Beijada pelo mar,
Ornada com lagoas
Você é linda, sempre vou lhe amar.

São Francisco de Itabapoana
Onde o sol brilha mais o ano inteiro,
Estrela de grandeza reluzente
Do Estado do Rio de Janeiro.




CAFÉ LITERÁRIO ANTÔNIO ROBERTO

Como já havíamos anunciado, foi realizado hoje, dia 15/12, com início as dezenove horas, no Centro Cultural Anthony Garotinho, na cidade de Campos dos Goytacazes, mais uma edição do Café Literário, movimento cultural, instituído na cidade de Campos e na região, pelo Poeta Antônio Roberto Fernandes. Em homenagem ao grande incentivador da cultura, amigo, poeta da mais brilhante sensibilidade e mestre das letras, o Café Literário que era realizado mensalmente na instituição, passou a ser denominado a partir de então de CAFÉ LITERÁRIO ANTÕNIO ROBERTO. Um poster foi inaugurado pela família do saudoso poeta, representada no ato entre outros por Naiara e Rakel. Foram declamados poemas e trovas e interpretadas músicas composta pelo homenageado. Estiveram presentes seus amigos, frequentadores do Café Literário, entre eles: Agostinho Rodrigues, senador da cultura, acadêmico, trovador, poeta e escritor ; Neiva Fernandes, trovadora e Delegada da UBT em Campos; o acadêmico Carlos Augusto, que coordenou o evento; Geraldo Linhares, cantor, compositor e trovador; José Gurgel, presidente da Academia Pedralva Letras e Artes; José Viana, acadêmico, vice-presidente da Pedralva, extraordinário sonetista; o Cantor Dino Mendes; a cantora Gleyde; a cantora Jeane Viterbo; a poetisa Berenice; o grande declamador Manoel Junqueira; Roberto Acruche e tantos outros. Durante o evento muitos momentos de emoção foram registrados.

ENTARDECER EM GARGAÚ - DISTRITO DE SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA-RJ

BELO E O ENTARDECER ACONTECENDO, COM A LUZ DO SOL DISTANTE, LÁ NO HORIZONTE; ENTRE AS NUVENS SEUS RAIOS ESCONDENDO; NA TERRA ÁGUA JORRANDO DA FONTE. (Roberto P. Acruche)



Acadêmica e Poetisa Heloiza Crespo e Roberto Acruche-Roberto Acruche Dr. Almir Pinto de Azevedo, presidente da Academia de Letras e Artes de Cambuci, um dos grandes insentivadores da cultura em nossa região e o Acadêmico, Senador da Cultura Dr. Agostinho Rodrigues.

Roberto Acruche e Antônio Roberto Fernades (saudades) em encontros literários.

Saudade, quase se explica

nesta trova que te dou:

saudade é tudo que fica

daquilo que não ficou.

(Luiz Otávio)

ROBERTO ACRUCHE E O ACADÊMICO JOSÉ VIANA




Roberto Pinheiro Acruche, quando homenageado pelo Advogado, Acadêmico, Poeta, um dos maiores sonetistas José Viana.

TROFÉU CLUBE DE REGATAS SALDANHA DA GAMA

Troféu conquistado por Roberto Pinheiro Acruche no concurso nacional de crônicas promovido pelo Clube de Regatas Saldanha da Gama - Campos dos Goytacazes-RJ, por ocasião da comemoração do seu centenário.

UMA NOITE HISTÓRICA DA CULTURA SANFRANCISCANA

Roberto Acruche, o Prefeito Pedro Cherene e o Extraordinário Poeta Antônio Roberto

FernandesEsta foto registra um dos momentos culturais mais importante registrado em São Francisco de Itabapoana. A sua realização nos encheu de orgulho. O poeta Antônio Roberto recebeu Troféu e Diploma pela apoio dado ao evento e Roberto Acruche foi o grande homenageado da noite, quando recebeu do Congresso de Cultura Latina - Seção Brasil, o prêmio como autor do melhor Livro de Prosa do ano. Durante o acontecimento vários poemas de sua autoria foram declamados. As presenças foram incontáveis; diante quantidade de pessoas ilustres da cultura regional, estadual e nacional.

ENERGIA EÓLICA EM SÃO FRANCISCO

Esta foto registra o descerramento da placa de implantação da pedra fundamental da Gargaú Energética S/A. Roberto Acruche ao lado do Presidente da Empresa, Carlos Matias, amigos, que brevemente estarão mais uma vez juntos para dar início definitivo a instalação da usina eólica.

AS OBRAS DE INSTALAÇÃO DO PARQUE EÓLICO DE SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA SERÃO INICIADAS DENTRO DE POUCOS DIAS, JÁ TEM DATA PREVISTA, O QUE OPORTUNAMENTE ESTAREI DIVULGANDO.

MINHA TERRA È UMA BELEZA

IMAGEM EXCLUSIVA DO BLOG

A riqueza do litoral sanfranciscano é composta pela sua extensão, beleza, fauna e areas radioativas. Nesta foto ver-se paralelamente e muito próximas as águas do mar e da lagoa. (salgada e doce)

SONETO - INCOMPARÁVEIS DIAS"

INCOMPARÁVEIS DIAS
Imperturbáveis foram os dias
De paixão e amor desmedido
Que rasgamos nossa fantasias
Num encontro de ternura vivido.
A imensidão daqueles momentos
De aspiração e sonhos realizados
Avivam nos meus pensamentos;
São a todos os instantes lembrados.
Ocasião incomparável, agora saudade!
Dos delíquios arrebatadores
Convivido com tanta intensidade
A imagem da mulher atraente
Dos aconchegos, fascinante, envolvente...
Verdadeiro encontro com a felicidade!...
Roberto P. Acruche

FAROL NA PRAIA DE "LAGOA DOCE"


A Praia de Lagoa Doce, que fica no litoral norte do Município de São Francisco de Itabapoana-RJ, nas proximidades da sede distrital de Barra do Itabapoana, lugar histórico, banhado pelo rio Itabapoana, antigamente MANAGÉ, na divisa com o Estado do Espírito Santo, única praia de falésia no Estado do Rio de Janeiro, mostra a riqueza de paisagem do nosso litoral. Os registros históricos confirmam que nesta região foi edificada a Vila da Rainha, primeiro núcleo habitacional e colonização de toda área compreendida entre o Rio Macaé (RJ) ao Rio Itapemirim no (ES). Tornando consequentemente berço de toda a ocupação dos "homens civilizados" que aqui plantaram a primeira cana-de-açúcar e construíram o primeiro engenho do RJ. Nesta região também foi edificada a primeira igreja "Santa Catarina"...

CAFÉ LITERÁRIO

Na próxima segunda-feira, dia 18/12, estará acontecendo na Fundação Cultural Garotinho, às 19 horas, mais uma edição do Café Literário e no dia 18/12 às 19 horas no Palácio da Cultura. Se ainda estivesse entre nós, estaria dirigindo estes acontecimentos o saudoso poeta Antônio Roberto Fernandes, que instituiu a realização do Café Literário na cidade de Campos e na Região. A sua ausência continua sendo bastante sentida e lamentada.

ACADEMIA PEDRALVA LETRAS E ARTES REALIZOU A ÚLTIMA REUNIÃO DO ANO DE 2008

Em sessão festiva, os membros da Academia se confraternizaram, em tarde de poesia, e saudações natalinas, culminando com sorteio de brindes e um coquitel. Dirigiu a mesa o presidente José Gurgel, tendo como secretário o acadêmico Carlos Augusto, compondo a mesa o presidente de honra José Sales, a ex- presidente Heloiza Crespo e o acadêmico e ex- presidente da Academia Campista Eberson Freitas. Entre outros acadêmicos e acadêmicas que se manifestaram encontravam-se: José Viana, Amir Barbosa, Agostinho Rodrigues, Thelmo Albernaz, Verinha, Neiva Fernandes, Jailza, Roberto Acruche. Ao findar as atividades do ano 2008 ficou a espectativa para o início do exercício de 2009 quando deverá ocorrer extensa programação literária.

FALANDO DE TROVA

TROVANDO - Olympio Coutinho
Olympio da Cruz Simões Coutinho é jornalista radicado em Belo Horizonte. Trovador dos bons, remanescente da era de Luiz Otávio, Eno Teodoro Wanke, Aparício Fernandes e tantos outros, retorna agora em 2008 às lides trovísticas..
A Trova, quatro versos de sete sílabas, rimando o primeiro com o terceiro e o segundo com o quarto, é um dos ramos da poesia mais difundidos no Brasil. Embora o movimento trovadoresco não receba maior atenção da chamada “grande imprensa”, são milhares os trovadores que, diariamente, produzem trovas de elevada inspiração e que se reúnem nas mais variadas regiões do País em solenidades de entrega de prêmios de centenas de concursos de trovas que ocorrem durante todo o ano.
Nos chamados “anos dourados” (de 50 a 60) era comum ver nos cadernos dos adolescentes, principalmente das adolescentes, o registro de quadrinhas, algumas vezes sem o nome do autor, que, desta forma, se tornavam populares. Neste período, a trova era muito cultivada e poetas como J. G. de Araújo Jorge e Luiz Otávio, ao lado de muitos outros, lideravam o movimento, com a promoção dos primeiros “Jogos Florais” (concursos de trovas), além da edição de antologias, coletâneas e livros de trovas.
Nesta época, jornais como ”O Globo” e “O Jornal” (dos Diários Associados) davam certo destaque às trovas. No “O Globo”, Antônio Olinto tinha coluna chamada “Porta de Livraria”, onde, além de notícias literárias, dava cobertura aos Jogos Florais, publicando as trovas classificadas; além dele, Ivone Borges Botelho publicava a coluna “Na Boca do Lobo”, onde sempre saía uma trova na seção “Quadra no Quadro”. No “O Jornal”, Elza Marzulo e Symaco da Costa publicavam colunas onde a trova sempre aparecia com destaque. Na Rádio Globo, Aparício Fernandes mantinha programa de divulgação das trovas e de novos trovadores. Na Bahia, Rodolfo Coelho Cavalcanti editava um jornal de trovas e muitos outros trovadores, nos mais variados recantos do País, também se encarregavam de divulgar o movimento trovadoresco.
Nesta mesma época, já na década de 60, devido ao grande movimento trovadoresco, surgiu a União Brasileira dos Trovadores (UBT), hoje com ramificações em praticamente todo o Território Nacional, em capitais e no interior dos Estados. Em Belo Horizonte, surgiu a Academia Mineira de Trovas, ainda em funcionamento. A UBT expandiu-se e muito contribuiu e tem contribuído para a expansão do movimento. Anos mais tarde, com a Internet, surgiram sites especializados, sendo o
um dos principais criado por José Ouverney, de Pindamonhangaba (SP), fazendo grande divulgação da trova e dos concursos. Em Campos dos Goytacazes, além do Jornal "Monitor Campista" que publica diariamente uma trova em sua página de cultura, o Acadêmico Agostinho Rodrigues publica mensalmente o Navegando na Poesia, trazendo sempre Trovas de diversos Trovadores. Destaco ainda na região, o presidente da Academia de Letras de Cambuci, Dr. Almir Pinto de Azevedo que muito tem feito pela trova.
Trovas de gente famosa:

Por mais que minhas palavras
transbordem em desacatos,
não deixe, meu coração,
que eu as transforme em atos.
Shakespeare

Quebre-se o cetro do Papa,
faça-se dele uma cruz,
que a púrpura sirva ao povo
pra cobrir os ombros nus.
Castro Alves

O meu tempo e o teu, amada,
transcendem qualquer medida.
Além do amor não há nada:
amor é o sumo da vida.
Carlos Drummond de Andrade

Sou mais alta que esse morro,
mais vasta que aquele mar...
Há muito que me percorro
sem me poder encontrar.
Cecília Meirelles

O coqueiro todo em palmas
beija o cinamomo em flor...
Imagem de nossas almas
unidas no mesmo amor!
Alphonsus de Guimarães

Nada recebe quem nega
dar amor ou coisa assim:
só colhe flores quem rega
dia e noite o seu jardim.
Olympio Coutinho

Quando você se encontrar
talvez não me encontre mais;
os tempos do verbo amar
são só agora ou jamais.
Olympio Coutinho

A paz está baseada
num conceito natural,
só pode ser alcançada
com justiça social.
Olympio Coutynho

Se o hoje é cheio de dor
não pense que a vida é vã...
enquanto existir amor,
sustente a fé no amanhã!!!
Roberto P. Acruche

Quando te amei de verdade,
jamais eu pensei, “por certo”,
Que tu serias saudade
e o meu coração, “deserto”!
Roberto P. Acruche

Roberto Pinheiro Acruche é Acadêmico - Academia Pedralva Letras e Artes (Campos dos Goytacazes-RJ) e Delegado da UBT - União Brasileira de Trovadores (São Francisco de Itabapoana -RJ)

HOJE EU ACORDEI COM SAUDADES DE VOCÊ

Meu coração bate forte
Quando chega sua mensagem
Que bom se tivesse a sorte...
Vê-la chegar da viagem.


Quando te amei de verdade,
jamais eu pensei, “por certo”,
Que tu serias saudade
e o meu coração, “deserto”!

VOCÊ CONCORDA?

"A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina.
Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente.
Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso.
Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo.
Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar.
Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria.
Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.
Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo!
Não seria perfeito?"
Charles Chaplin

POEMA "RITA"


RITA

Você era tão bonita...

De uma beleza sem igual.

Eu, como tal,

encantado com a sua silhueta

retratava na memória

você vestida de azul...

De um azul que cintilava

como o céu na sua mais fascinante imagem.

Lembro-me ainda de quanta bobagem

o tempo que desperdicei

por não ter coragem

de revelar pra você a minha fascinação.

Não mereço perdão!

Devia castigar-me

por ter sido tão covarde.

Talvez fosse a idade

Talvez a timidez.

Só sei que a perdi de vez.

Perdí você Rita, que era tão bonita,

pra alguém que sequer merecia o seu olhar.

E você olhou

apaixonou-se

entregou-se

E se acabou na desventura

acreditando naquela criatura

que não soube amá-la

não soube respeitá-la

acabando por entregá-la

ao desgraçado mundo da ilusão.

Dói-me o coração

de vê-la descuidada

desiludida, acabada, desfigurada,

como não existisse mais nada...

Ou razão pra viver.

Ah! Rita, você era tão bonita...

Roberto P. Acruche.

ACEITA UM CHIMARRÃO?


TERE, grande coração!
Que reside lá nos pampas,
mandou-me um chimarrão,
bom de mais, legal as “pampas!”

PROCURA-SE UM HOMEM

A minha amiga TERE enviou-me o seguinte Poema:

PROCURO UM HOMEM
QUE ME DÊ UM AMOR AMIGO
DAQUELES DE FILME ANTIGO...
UM HOMEM
COM SINCERIDADE NO OLHAR
PARA ME FAZER SONHAR....
UM HOMEM
QUE EM TUDO SEJA VERDADE
QUE TRAGA A FELICIDADE...
UM HOMEM
QUE SAIBA SE ENTREGAR
PARA POR MIM SE APAIXONAR..
TERE&TERE

SEMPRE AS FLORES

SEMPRE AS FLORES
Uma borboleta
voava lentamente
e pairava suavemente
sobre as flores...
Um beija-flor
voava rapidamente
retendo-se repentinamente
para beijar as flores...
Uma garoa
que brandamente caia
em plena noite fria
vinha abluir as flores...
Uma abelha
trabalhava indefinidamente
sugava insistentemente
o néctar das flores...
Um jardineiro
jardinava diariamente
com aspecto plangente
diferentes espécies de flores...
Um romântico
caminhava apressadamente
levava todo contente
um buquet de flores...
Por que será
que inadvertidamente
tantos reverentemente
dirigem-se as flores?
Roberto P. Acruche

"MADRUGADA" - POEMA




TODOS NÓS SOMOS SANTUÁRIOS DE DEUS

QUATRO VERSOS

Recebí hoje, através do amigo e trovador José Moreira Monteiro, da cidade de Bom Jardim-RJ, um exemplar do QUATRO VERSOS, Boletim Informativo da UBT, seção Nova Friburgo, ao qual agradeço! Como Não podia deixar de ser, trazendo lindas Trovas, entre elas as de:

Rodolfo Abbud, primeiro a esquerda na foto, na qual também ver-se em seguida; Pedro Ornelas, Otávio Venturelli e Roberto Acruche.

Rodolfo, completou no mês de outubro, 82 anos de idade. Trovador, mestre, muito estimado, autor de muitas trovas vencedoras. Segue algumas de suas "jóias":

Foi um erro reconheço, /o nosso medo de amar... / E hoje pagamos o preço / por nosso medo de errar!

Vamos brincar de mãos dadas / crianças pretas e brancas... / O sol de nossas calçadas / não tem porteiras e nem trancas!

Muitas mulheres vieram, / mas... um capricho infeliz / deu-lhe todas que o quiseram, / e jamais a que ele quis!

Elizabeth Souza Cruz - Excelente Trovadora - Nova Friburgo-RJ

Casamento - a carestia
faz da gente equlibrista...
Faço tanta economia
que virei "Economista"!

Eu vou mudar o meu jeito / de rimar com Sâo Francisco,/ vou "pra" ai, que é meu direito, /com tempo bom ou chuvisco!!!

Não posso perder a conta!!! / Ficar fora... nem me arisco!! /Minha mala já está pronta/ porque eu vou pra São Francisco!!


POESIA


POEMA




HISTÓRIA

Esta peça de artilharia foi encontrada na Praia de Manguinhos, no ano de 1968, quando escavações estavam sendo feitas para extração de areias. Este canhão, que remota ao período Imperial, possivelmente, pra aqui viera, quando D. Pedro II, havia mandada para atuar em nosso litoral, forças armadas para combater o tráfico de escravos, trazendo entre outros armamentos, canhões para a garantia da costa.

A MINHA TERRA É BELA

Canta, canta passarinho
Em nossos bosques, que beleza!
A nossa Terra é tão bonita...
Assim... Fez a natureza!

Roberto Acruche







..."Minha terra é bela
Em floração bendita
Fê-la Deus singela
Fê-la Deus Bonita
Pô-la ao pé do rio
Pô-la ao pé do mar"
Antônio Braga

COMISSÃO DE TRANSIÇÃO

Aconteceu hoje, às 10:30h, na sala de reuniões da Prefeitura Municipal de São Francisco a 1ª reunião da Comissão de Transição. O encontro ocorreu de forma bastante cordial, atuando como indicados pelo atual Governante: Roberto Pinheiro Acruche (coordenador), Silvério Agrizza, José Amilton Barreto da Silva e Valdeni da Silva Mota dos Santos; indicados pelo futuro Governante: Dr. Jorge Raul Teixeira de Faria, Josenilton Silva de Azevedo, Claudio Cardoso Valinhas Otero e Felipe de Moraes Pinto.

MEUS AMIGOS TROVADORES


Imene
Sabiá da minha terra,
Por que vem cantar aqui?
Não sabe seu canto encerra
Saudades de onde vivi?...

Sonho Azul
O que eu não quero é morrer
quero ser doce lembrança
sempre que eu merecer
Te encontrar feito criança


Bete e Saul
Nas rimas quanta saudade,
De tão triste até chorei,
és uma grande verdade...
Tão pouca vida te dei.

Claret
Se eu pdesse voltar à infância
Nem que fosse por um dia
Abraçaria a inocencia
e nunca mais a soltaria.



Marilu
Tua voz é melodia,
com bemóis e sustenidos,
a mais perfeita harmonia
a encantar meus sentidos.


Lourdes
Na madrugada, tristonho,
Sem sono o jovem medita
A vida é um grande sonho,
Feliz quem nele acredita.

Kelly Feliz
Por capricho do destinote
encontrei tarde demais
Sou badalo, voce o sino
sou a moca, tu es o rapaz.


Ilnea Paes Miranda
Amor eu estou morrendo
de saudades de você
amor, eu só estou vivendo,
de amor por quem não me vê.


Gilson
O tamanho do meu sonho
não se mede em comprimento
mas nos versos que componho
na medida do lamento...


Dete
Na semeadura errada
Você cultivou espinho,
mas hoje, em triste jornada,
anda descalço e sozinho.

Quem Sou eu

Eu sou um caso,
um ocaso!
Eu sou um ser,
sem saber quem ser!
Eu sou uma esperança,
sem forças!
Eu sou energia,
ora cansada!
Eu sou um velho,
ora criança!
Eu sou um moço,
ora velho!
Eu sou uma luz,
ora apagada!
Eu sou tudo,
não sou nada!
Roberto P. Acruche

ESCREVA PARA MIM!

rpacruche@gmail.com
Visitas

free counter
Orbitz Cheap Ticket

Visitantes Online