ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE PROCLAMADO INTELECTUAL DO ANO DE 2014.

ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE PROCLAMADO INTELECTUAL DO ANO DE 2014.


ESCRITOR SANFRANCISCANO FAZENDO SUCESSO EM TODO BRASIL.
Bruna Santos
Bscvdesign
Parabéns Roberto Pinheiro Acruche pelo lindo conto que te prestigiou no Rio de Janeiro e no brasil, muito lindo !!


A lenda da Bailarina Ana
Autor: Bruna Santos C. Mattos
Orientador: Jofre da Silva
Projeto fotográfico baseado na lenda da Bailarina Ana, de Roberto Pinheiro Acruche, realizado na Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro.
Modelo: Fernanda Monteiro
O projeto:
Como o ponto inicial do projeto é mostrar o lado místico da Floresta, foram pesquisados textos e lendas para embasá-lo. Até que a lenda “A lenda da Bailarina Ana” fosse a escolhida para basear o ensaio, em conjunto com a trova de mesmo nome que a resume.
Esta lenda representa bem o tema proposto, da magia e misticismo, por trabalhar tanto com o lado delicado do balé clássico, quanto o lado fantasmagórico, como se a bailarina nunca tivesse abandonado a floresta, mesmo após a morte.
Resumo da lenda:
Segunda a lenda de Roberto Pinheiro Acruche, Ana era uma menina do interior, que morava em uma fazenda com uma grande floresta em seus arredores, que não teve nenhuma formação no balé clássico, porém se tornou uma bailarina famosa. Com apenas os treinamentos solitários pela floresta, ela realizava os movimento do balé com delicadeza e perfeição de todas as técnicas que nunca estudou. Sua habilidade despertou a inveja das outras bailarinas que estudaram por anos e não conseguiram a fama que Ana possuía. Um dia Ana foi treinar na floresta, seu local preferido, mas nunca retornou. Como medida desesperada, seus pais mandaram derrubar todas as árvores para encontrar a filha, ficando
assim um imenso descampado por muitos anos. Até que, depois de muito tempo, nasceu na floresta uma árvore com o formato de uma bailarina executando um dos passos do balé clássico, o que era a maneira da floresta eternizá-la.
Autor da lenda: http://robertoacruche.blogspot.com.br/…/lenda-da-bailarina-…

Especificações:
O projeto fotográfico consiste em 20 fotografias da bailarina pela floresta, onde, na exposição, cada fotografia é coberta com papel vegetal, formando uma aba a ser levantada, como uma capa translúcida que foi impressa com um trecho da trova relacionado à foto. Todas as fotografias, com suas respectivas abas, devemser penduradas com barbante, seguindo a ordem da canção. Essa "capa" garantirá a narrativa e
guiará o expectador, além de criar um mistério, cobrindo parcialmente a fotografia. Assim, o público terá que chegar perto, ler o trecho da música referente à lenda, levantar a aba de papel vegetal e só depois analisar a foto. Um processo que criará um ar místico, misterioso e induzirá o expectador a desvendar a foto, A lenda da bailarina Ana.
A chuva caia fina e persistente, era uma tarde de sábado em plena primavera; o clima era agradável; e pela vidraça da janela avistava-se…
ROBERTOACRUCHE.BLOGSPOT.COM
ESCRITOR SANFRANCISCANO FAZENDO SUCESSO EM TODO BRASIL.
Bruna Santos
Bscvdesign
Parabéns Roberto Pinheiro Acruche pelo lindo conto que te prestigiou no Rio de Janeiro e no Brasil, muito lindo !!

 Bruna Santos C. Mattos
Orientador: Jofre da Silva
Projeto fotográfico baseado na lenda da Bailarina Ana, de Roberto Pinheiro Acruche, realizado na Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro.
Modelo: Fernanda Monteiro
O projeto:
Como o ponto inicial do projeto é mostrar o lado místico da Floresta, foram pesquisados textos e lendas para embasá-lo. Até que a lenda “A lenda da Bailarina Ana” fosse a escolhida para basear o ensaio, em conjunto com a trova de mesmo nome que a resume.
Esta lenda representa bem o tema proposto, da magia e misticismo, por trabalhar tanto com o lado delicado do balé clássico, quanto o lado fantasmagórico, como se a bailarina nunca tivesse abandonado a floresta, mesmo após a morte.
Resumo da lenda:
Segunda a lenda de Roberto Pinheiro Acruche, Ana era uma menina do interior, que morava em uma fazenda com uma grande floresta em seus arredores, que não teve nenhuma formação no balé clássico, porém se tornou uma bailarina famosa. Com apenas os treinamentos solitários pela floresta, ela realizava os movimento do balé com delicadeza e perfeição de todas as técnicas que nunca estudou. Sua habilidade despertou a inveja das outras bailarinas que estudaram por anos e não conseguiram a fama que Ana possuía. Um dia Ana foi treinar na floresta, seu local preferido, mas nunca retornou. Como medida desesperada, seus pais mandaram derrubar todas as árvores para encontrar a filha, ficando
assim um imenso descampado por muitos anos. Até que, depois de muito tempo, nasceu na floresta uma árvore com o formato de uma bailarina executando um dos passos do balé clássico, o que era a maneira da floresta eternizá-la.
Autor da lenda: 
Especificações:
O projeto fotográfico consiste em 20 fotografias da bailarina pela floresta, onde, na exposição, cada fotografia é coberta com papel vegetal, formando uma aba a ser levantada, como uma capa translúcida que foi impressa com um trecho da trova relacionado à foto. Todas as fotografias, com suas respectivas abas, devemser penduradas com barbante, seguindo a ordem da canção. Essa "capa" garantirá a narrativa e
guiará o expectador, além de criar um mistério, cobrindo parcialmente a fotografia. Assim, o público terá que chegar perto, ler o trecho da música referente à lenda, levantar a aba de papel vegetal e só depois analisar a foto. Um processo que criará um ar místico, misterioso e induzirá o expectador a desvendar a foto, A lenda da bailarina Ana.

Bruna Santos
Bscvdesign

NO CIEP 470 - LITERATURA E MEIO AMBIENTE

O convite para participar deste projeto, proporcionou-me na manhã do dia 11/07/2016, momentos de extrema alegria! Deixando-me lisonjeado, honrado, feliz e muitíssimo grato. Pois, fazer palestra para a nossa juventude, relatar a nossa história, a história de nossa terra São Francisco de Itabapoana e ainda ouvir esses jovens declamando a nossa poesia, cantar o hino oficial do Município, foi emocionante. Agradeço a Direção do CIEP 470, professores, o Diretor de Cultura Edson Martins, a todos que compõe o quadro de servidores na Biblioteca da Escola.

Com os responsáveis pela biblioteca, momento que a presenteava com um livro de poesias.
Ouvir os alunos cantando o Hino Oficial do Município, foi um momento de muita emoção!
Um belo presente do aluno IURY, artista nato, que fez a minha caricatura. Emocionante!
Com a professora de português!
DURANTE A PALESTRA
QUANDO ENTREGAVA A UMA ALUNA O LIVRO QUE CONTA A HISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO DA IGREJA DE SÃO FRANCISCO DE PAULA E DO PADROEIRO.

Escritor e poeta Roberto Acruche com alunos do Ciep que cantaram o hino oficial de São Francisco de Itabapoana de autoria do escritor!



 Encantador - as estrofes do Hino Oficial do Município em cada uma das mudas expostas sobre a mesa.
 Autografando a antologia para a Biblioteca do CIEP
Na entrada da Biblioteca as árvores desenhadas na vitrine sustentando as estrofes do Hino Oficial de São Francisco de \Itabapoana.  (foi de arrepiar)
Alunos que declamaram minha poesia.

PEDRALVA 69 ANOS

Acadêmico Roberto Pinheiro Acruche, presidente da Academia Pedralva Letras e Artes com o Acadêmico Ronaldo Junior.

A academia, que completa mais um ano em atividade, persiste na luta por manter viva a chama das letras e artes, norteados pelo legado deixado por seus fundadores, desde 20 de fevereiro de 1947.

A Pedralva  já se prepara para a Bienal do Livro de Campos dos Goytacazes que será realizada no mês de agosto. Uma programação extensa foi elaborada com muitas novidades, palestras, lançamento de livros, exposições, debates, etc.

TROVAS PRA QUEM AMA

TROVAS PRA QUEM AMA

Teu semblante é primavera,
são versos encantadores,
é o fim de uma longa espera,
um lindo leque de flores.
     Roberto Pinheiro Acruche

A casa que não tem flores,
não tem o adorno do amor!
Nem os sons acolhedores
de um amor abrasador.
    Roberto Pinheiro Acruche

Encoste o teu peito ao meu
e sinta com que emoção,
meu coração junto ao teu
é uma explosão de paixão!
    Roberto Pinheiro Acruche


Quisera ornar teus cabelos
com flores do campo, Amor,
com os mais belos modelos
que a natureza dispor.
Roberto Pinheiro Acruche


Amar é passar com ela
entre rosas, blue, jasmim,
cravo, tulipa amarela,
espalhadas no jardim.
Roberto Pinheiro Acruche

Na loucura que me vejo,
que meu desejo domina,
faz-me sonhar com um beijo
em sua boca...divina!
  Roberto Pinheiro Acruche

As covinhas do teu rosto
tão lindas quando sorria,
causavam-me tanto gosto,
quanto, tua pele macia!
    Roberto Pinheiro Acruche

Amor! Invejam-te as rosas
por bucólica razão:
Não terem mãos carinhosas,
teus olhos...teu coração!

   Roberto Pinheiro Acruche

ROBERTO ACRUCHE PARTICIPA DO II SEMINÁRIO DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

 Com os talentosos jovens premiados no concurso de arte.

Roberto Pinheiro Acruche participa do II SEMINÁRIO DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL em São Francisco de Itabapoana-RJ - representa o Chefe do Executivo Municipal, e na oportunidade faz pronunciamento em apoio ao trabalho, se solidariza e parabeniza a todos que estão empenhados nessa importante tarefa.

O TALENTOSO "GRUPO GOTTA" FAZ APRESENTAÇÃO NA ACADEMIA PEDRALVA LETRAS E ARTES E HOMENAGEIA O PRESIDENTE ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE

Estes dois jovens, que integram o talentoso "GRUPO GOTTA" magnífico trabalho da professora Ana Lucia Souza, em espetacular e maravilhosa participação realizada hoje, dia 18/06/2016, na Academia Pedralva Letras e Artes, declamaram duas poesias de minha autoria; homenagem que deixou-me honrado, gratificado e emocionado; aos mesmos, dois artistas de extraordinária performance, e a professora Ana Lucia, a minha eterna gratidão.


 Momento que declamavam!





 Professora Ana Lucia Souza - Coordenadora do Grupo
 Professora Ana Lucia Souza recebendo a Medalha dos 69 anos da Academia Pedralva Letras e Artes


PADRE LUCAS MENDES É HOMENAGEADO PELO CSCL

Depois de ser condecorado em
maio, em uma das categorias da décima segunda edição do "Melhores do Ano de 2015 do Estado do Rio", Padre Lucas Mendes recebeu na Santa Missa da noite deste domingo uma medalha do Congresso da Sociedade de Cultura Latina - Seção Brasil do Estado do Rio de Janeiro. 

O senador da cultura do Estado, Agostinho da Conceição Rodrigues Filho, estava presente na Santa Missa e destacou a felicidade dele em premiar nosso pároco. 

A indicação para que padre Lucas recebesse a medalha foi feita por Roberto Acruche. Ele destacou o empenho de nosso pároco em aproximar a Igreja Católica de outras denominações cristãs, "através de um trabalho sócio-cultural".

PADRE LUCAS MENDES 


SUPLENTE DE SENADOR PELO CSCL -RJ - ASSESSOR DA SENADORIA PELO CSCL E AGOSTINHO RODRIGUES SENADOR DA CULTURA PELO CSCL NOS MOMENTOS QUE ANTECEDERAM AS HOMENAGENS AO PADRE LUCAS MENDES.

MOMENTO EM QUE O PROFESSOR CARLOS AUGUSTO SOUTE DE ALENCAR E O SENADOR DA CULTURA NO RJ PELO CSCL FAZIA A ENTREGA DO DIPLOMA

ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE FAZENDO A ENTREGA DA MEDALHA

ROBERTO ACRUCHE VISITA A BIBLIOTECA DO CIEP 470




23 h próximo a Rio de Janeiro


Presença ilustre em nossa Biblioteca, Ciep 470, do escritor e poeta, nosso amigo Roberto Pinheiro Acruche!

MEU VERDADEIRO "EU"


A minha participação nos atos de inauguração e de outros eventos que dizem respeito ao Município de São Francisco de Itabapoana, não são impostas, não são obrigatórias, como alguns podem julgar; faço por minha livre, inteira e espontânea vontade; o que não é novidade, não é ocasional é muito menos visando qualquer defesa ou interesse pessoal. Como cidadão sanjoanense/sanfranciscano, há exatamente 47 (quarenta e sete) anos, não só participei, mas implementei, influenciei, conduzi, assessorei iniciativas que mudaram a nossa história e os rumos do antigo Sertão Sanjoanense; e há 42 (quarenta e dois anos) atuando paralelamente na vida pública, para superar as barreiras que me eram impostas por alguns “políticos” preocupados com as minhas idéias e realizações que a essa altura começaram a repercutir no município inteiro. Isso determinou que eu tomasse a iniciativa de associar-me ao movimento político, pois até então, não me envolvia no mesmo. Poderia ser hoje, um homem completamente realizado economicamente, pois desde os 14 (quatorze) anos de idade que trabalho e muito, com firmeza e determinação, usando os dons que Deus me deu e seguindo os princípios de formação educacional e de responsabilidade orientadas pelos meus pais: Daud Salomão Acruche e Melinda Pinheiro Acruche (D. Linda, como era conhecida popularmente). Porém, ao invés de cuidar somente dos meus interesses pessoais, desde o ano de 1969, venho dividindo grandes partes do meu tempo e da minha vida para cumprir uma missão pública, eu assim acredito, que me foi destinada, e por força do ideal, pois nunca usufrui, desfrutei e tirei vantagens ao exercê-la; pelo contrário, além de me custar caro, pois apliquei uma parcela considerável de meus recursos próprios, ganhos honestamente com muito trabalho e suor para ajudar o município nas soluções de alguns impasses e a inúmeras pessoas que precisavam de uma mão amiga, sem nunca pedir nada em troca; ao contrário, perdi muitas e grandes oportunidades que me foram oferecidas, que poderiam ter me tornado um homem rico, economicamente falando, para não me afastar daqui e deixar de prosseguir no intento de realizar os sonhos e ideários que tinha e ainda tenho por esta terra, que ainda me emociona, apesar do tempo e da idade, que já chega aos 72 anos. Nunca fiz publicidade, nunca me envaideci ou tentei me destacar, sempre me comportei concordando ou discordando, como amigo e parceiro, nunca disse a quem ajudei, pois sempre segui aquele adágio, quando se faz de coração e sem outros interesses “FAZER O BEM SE OLHAR A QUEM”.
Não me arrependo de nada que tenha feito, pois pautei minha vida e meus atos de forma reta e dentro dos princípios modestos, mesmo ainda, ter que trabalhar e muito para sobreviver e continuar ajudando meus filhos a educar os netos.
E O PORQUÊ ESSA REFLEXÃO AGORA?
Estamos num ano político, não violento, mas muito conturbado, praticado de uma maneira lamentavelmente equivocada, denegrindo a desqualificando a imagem do município e a postura de nossa gente, fazendo um juízo comparativo como se todas as pessoas fossem iguais, com infiltrações de gente que não é daqui, que não conhece a história, o costume, a cultura e tradição de nossa terra, que nenhum interesse tem pelo crescimento, prosperidade ou melhoria de vida da população, a não ser de usar o momento, para explorar, ganhar dinheiro e levar vantagens; e ainda, apesar da liberdade de expressão ser é um direito universal do cidadão e que tem de ser respeitada, vem também sendo usadas por pessoas que estão mal informadas, outras, tristemente com intenções não muito claras. Hoje, temos no município uma população jovem que esta se cultuando, elevando os seus conhecimentos, sendo politizada e muito dos que a integra certamente em futuro próximo será responsável por dirigir e conduzir os destinos de nossa terra. Não podemos oferecer a ela uma formação política tão desqualificada, como tem sido praticada. É preciso elevar o nível e colocá-lo a altura que o momento exige, se quisermos que as ações políticas em nosso município possam crescer e melhorar tanto quanto desejamos que o município viesse prosperar.
NÃO ESTOU QUERENDO CALAR NINGUÉM – NÃO É O MEU PROPÓSITO!
Contrariando talvez o juízo feito por algumas pessoas, também esclareço:
Não tenho compromisso pessoal, obrigação ou trato com qualquer pessoa; meu compromisso pessoal é com meus familiares, a moralidade e a honestidade com a coisa pública e com a sociedade, princípios que sempre defendi e não transijo. As posições que assumo e escolha são baseadas nestes princípios.
Se alguém entender diferente provavelmente não me conhece ou pensa de outra maneira! Mas como diz o provérbio, sabedoria popular: “O BOM JULGADOR JULGA OS OUTROS POR SÍ PRÓPRIO”.
Saudações e que as bênçãos divinas caiam sobre todos nós!






 Na inauguração da reforma e ampliação da Unidade Básica de Saúde em Paraiso
 Na inauguração do Tanque de Resfriamento de Leite em Ladeira das Pedras

 Palestrando (História do Município) para os alunos da Escola Pedro Cerqueira em Imburí
 Encontro Cultural - Palestrando sobre a cultura do Município
 Participando da Reunião do Conselho de Segurança do Município
 Com estudantes na Escola Municipal em Brejo Grande
 Palestrando para Estudantes na Escola Municipal de Brejo Grande
 Na Escola Municipal Otávio Pinto de Oliveira
 Lançamento do Livro " O Mangue da Moça Bonita "
 Redação da Lei Orgânica do Município 

 Inauguração da reforma e ampliação da Escola Municipal em Praça Imaculada

 Na comemoração dos 21 anos de emancipação do Município

Lançamento da Pedra Fundamental da Usina de Energia Eólica - Assessor

ANO ELEITORAL

ANO ELEITORAL


Estar ao lado, a favor ou contra da situação ou da oposição é um direito de escolha, de liberdade de cada cidadão. Assim como as manifestações de reconhecimento, apoio, de julgar satisfatório ou de crítica, de avaliar e julgar insatisfatório.

O grande e lastimável problema, é que alguns por não terem propostas, um histórico positivo de realizações, de ações e de credibilidade para se promoverem, usam a mentira, a difamação, a injúria, a denúncia injusta, estimula a intriga, a inversão de valores, tentando com isso atrair as pessoas de boa fé e as mal informadas, que estão alheias aos verdadeiros fatos...

Direito a liberdade de expressão! A Internet conseguiu afirmar a sua importância no que diz respeito à simples e despreocupada comunicação, sobretudo a novas relações pessoais, de publicidade e serviços.

No entanto, aproveitando do Direito da Liberdade de Expressão, estabelecida na Declaração Universal dos Direitos do Homem, que diz: (todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e expressão.) Algumas pessoas, inclusive através de Blog, FACE e outras páginas da internet, acham que estes direitos não têm limites; e pensam que crime digital é apenas o praticado por pedófilos, estelionatários e hackers mal-intencionados. Confundindo direito de liberdade de expressão nas redes sociais com irresponsabilidade, o que passa a ser abuso de direito.

Com relação ao ANO ELEITORAL, tratando especificamente aqui de São Francisco de Itabapoana, temos observado que alguns blogs, (ficando bem claro que não são todos) dirigidos por pessoas que se intitulam de repórteres, têm extrapolado os limites desse direito de expressão, divulgando e opinando sobre alguns acontecimentos, de forma tendenciosa, comprometedora, dando inclusive publicidade a comentários (ANÔNIMOS) contendo inverdades, ofensa covarde, caluniosa e desonrosa; isso não é democracia, é crime.

Em se tratando dos FEKES, essas pessoas que usam perfil falso para ocultar a sua identidade real, além de estarem cometendo um crime têm levado pessoas de boa fé, inocentes a compactuarem, tornando-as comprometidas com o mesmo crime. “Quem fala a verdade não precisa se esconder atrás de nomes falsos, fotografias falsas e máscaras”

Continuo lamentando tudo isso por ver comentários terríveis que humilham, envergonham, desmoralizam, difamam nosso POVO e MUNICÍPIO, a terra que nos serviu de berço, que não merece isso.

Veja este como exemplo: “nosso município é o município mais pobre e miserável do estado do Rio

E este, como se todos aqui fossem ladrões: E COMO ANDA O MUNICÍPIO DE SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA MESMO???? 
SÓ DA GATOS NA ÁREA

E continuo dizendo, se você tem provas, de falcatruas, corrupção, ou de qualquer outro ilícito, denuncie o infrator, a justiça existe para isto, o Ministério Público também.

Vamos fazer uma política limpa, disputada com firmeza, com garra e determinação, mas, com verdade; não da forma suja, imunda e vergonhosa com estão tentando fazer. Chega ser revoltante!


Quem Sou eu

Eu sou um caso,
um ocaso!
Eu sou um ser,
sem saber quem ser!
Eu sou uma esperança,
sem forças!
Eu sou energia,
ora cansada!
Eu sou um velho,
ora criança!
Eu sou um moço,
ora velho!
Eu sou uma luz,
ora apagada!
Eu sou tudo,
não sou nada!
Roberto P. Acruche

ESCREVA PARA MIM!

rpacruche@gmail.com
Visitas

free counter
Orbitz Cheap Ticket

Visitantes Online