MORRO DE CIÚMES



MORRO DE CIÚMES

Sou ciumento, confesso;
mais ciumento
que o imaginável;
tenho ciúme até
do que não é meu, e queria que fosse.

Tenho ciúme dela,
sem jamais haver sentido
o doce beijo dos seus lábios;
jamais sentido o calor do seu abraço;
amor que não me pertence,
sequer sabe
que o tenho em segredo;
contudo, ela é, dona do meu
apaixonado coração!

Tenho ciúmes do seu passado
e do seu presente!
Tenho ciúme
do seu perfume,
do seu porte sublime
e do seu jeitinho de caminhar,
da sua voz, da roupa que veste,
das músicas que prefere,
das suas mãos, seu olhar,
sorriso, da rua por onde passa
e do vento que sopra os seus cabelos!
É por demais fortes, o ciúme que tenho
da cama que ela deita,
do travesseiro que dorme,
da poltrona que repousa
e até de tudo, mesmo
sem haver qualquer motivo!

Ah... Que ciúme eu tenho
do seu cachorrinho e
do gatinho de estimação;
da sua fotografia, do sol que a aquece,
da chuva que molha seu corpo;
do chuveiro que ela usa para se banhar;
do sabonete que passa com toda intimidade
por suas curvas!

É um ciúme que quase me enlouquece;
e explode no coração;
do pente que penteia os
seus longos e lindos cabelos;
do calçado que acaricia os seus pés,
do desodorante e da colônia que
a deixa, ainda mais cheirosa
e perfumada;
do zelo exagerado
pelo carro, apego pelas jóias,
e do celular seu constante companheiro!

Estou morrendo de ciúmes
das suas fantasias,
dos seus sonhos,
do visível, e por força da paixão...
Até do invisível,
que está vivo, na imaginação.               

        Roberto Pinheiro Acruche




0 comentários:

Quem Sou eu

Eu sou um caso,
um ocaso!
Eu sou um ser,
sem saber quem ser!
Eu sou uma esperança,
sem forças!
Eu sou energia,
ora cansada!
Eu sou um velho,
ora criança!
Eu sou um moço,
ora velho!
Eu sou uma luz,
ora apagada!
Eu sou tudo,
não sou nada!
Roberto P. Acruche

ESCREVA PARA MIM!

rpacruche@gmail.com
Visitas

free counter
Orbitz Cheap Ticket

Visitantes Online